Brazos 2.0: Mais do mesmo

Inicialmente, a AMD tentou atacar o mercado móvel com versões de baixo consumo do velho Athlon 64, operando com tensões e clocks baixos para reduzir o tanto quanto possível o consumo elétrico. Estes processadores ganhavam facilmente do Atom em matéria de desempenho, mas mesmo com todos os tweaks, o consumo elétrico era alto demais para uso em netbooks e ultraportáteis, o que levou a AMD a desenvolver uma arquitetura especializada para o segmento.
A lição aprendida pela AMD é essencialmente a mesma da Intel: uma dada arquitetura pode geralmente atender uma determinada ordem de magnitude de desempenho e consumo elétrico. Um processador que em seus modelos high-end trabalha sob um TDP de 100 watts, pode trabalhar dentro de um TDP de 10 watts no low-end através da redução do clock e tensões, mas nunca chegar a 1 ou 2 watts por exemplo.
 Para os netbooks e tablets, é necessário oferecer processadores que são capazes de trabalhar na faixa dos 1 a 10 watts, uma ordem de magnitude inteira menor que nos processadores para desktop. A Intel respondeu a essa questão com o Atom, enquanto a AMD tomou um rumo completamente diferente com o Bobcat, que deu origem à plataforma Brazos, que por sua vez se subdivide na linha Zacate (a linha para notebooks e desktops, com um TDP de até 18 watts) e a linha Ontario (a linha de baixo consumo, com TDPs abaixo de 9 watts).
A AMD acabou de anunciar atualizações para a linha Zacate, o E2-1800 e E1-1200, que está chamando de “Brazos 2.0”, mas diferente do Trinity, que trouxe uma arquitetura nova, batizada no Piledriver e com atualizações na GPU, os novos modelos são apenas leves upgrades para o E-450 e o E300, mantendo exatamente a mesma arquitetura e a mesma técnica de produção, oferecendo nada mais do que pequenos aumentos nas frequências de operação. Com os dois novos modelos, a linha fica assim:
AMD E2-1800:  Dual-core, 1.7 GHz, 18 watts e GPU Radeon HD 7340 (80 cores, 680 MHz)
AMD E1-1200: Dual-core, 1.4 GHz, 18 watts e GPU Radeon HD 7310 (80 cores, 500 MHz)
AMD E-450: Dual-core, 1.65 GHz, 18 watts e GPU Radeon HD 6330 (80 cores, 600 MHz)
AMD E-350: Dual-core, 1.6 GHz, 18 watts e GPU Radeon HD 6310 (80 cores, 492 MHz)
AMD E-300: Dual-core, 1.3 GHz, 18 watts e GPU Radeon HD 6310 (80 cores, 488 MHz)
AMD E-240: Single-core, 1.5 GHz, 18 watts e GPU Radeon HD 6310 (80 cores, 500 MHz)
AMD C-60: Dual-Core 1.0 GHz (turbo para 1.33 GHz), 9 watts e Radeon HD 6290 (400 MHz)
AMD C-50: Dual-Core 1.0 GHz, 9 watts e GPU Radeon HD 6250 (80 cores, 280 MHz)
AMD C-30: Single-Core 1.2 GHz, 9 watts e GPU Radeon HD 6250 (80 cores, 280 MHz)
Note que apesar da diferença na numeração (de 6xxx para 7xxx), a GPU é também a mesma mudando apenas os clocks de operação. A mudança na nomenclatura se dá exclusivamente por questões de marketing.
Para salvar a cara, a AMD anunciou também um novo FCH, o A68M, que oferece duas portas USB 3.0, juntamente com suporte nativo a leitores de cartões (eliminando a necessidade de os fabricantes usarem um chip separado), bem como suporte ao Quick Stream.
Anúncios
Esse post foi publicado em AMD, BRAZOS. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s