Google+ não é uma rede social, diz executivo da empresa

Um ano após o lançamento do Google+, parece que o Google não acha que a rede social é, de fato, uma rede social. Pode parecer um pouco confuso para as 150 milhões de pessoas que utilizam ativamente a rede, todos os meses. Eles acompanham colegas e amigos com seus Círculos. Eles conversam com familiares via Hangout. Postam fotos. Assistem a vídeos.
Mas não é esse tipo de coisa que se faz em uma rede social? O Google tem uma outra ideia sobre isso. De acordo com o que o vice-presidente sênior de negócios sociais do Google, Vic Guntotra, e o vice-presidente de produtos, Bradley Horowitz, disseram ao site americano Mashable, o Google+ pode ser social, mais é muito mais do que isso.
Ao invés de uma rede social, o Google+ é uma atualização de todos os produtos do Google. “O Google+ é apenas um upgrade para o Google”, disse Gundotra ao Mashable. “As pessoas têm dificuldade para entender isso.  Acho que eles gostam de nos comparar com outros concorrentes do ramo e nos enxergam por essas lentes, ao invés de verem o que realmente está acontecendo: o Google está pegando todos os seus maravilhosos produtos e juntando-os, para que possam ficar ainda melhores”.
O Google tem afirmado desde o último semestre que o Google+ será um conector de todos os seus produtos. E falando no que temos ouvido desde outubro passado, o co-fundador e CEO da gigante, Larry Page, disse que queria “transformar toda a experiência do Google” com o Google+.
“Isso significa criar uma identidade e colocá-la em todos os produtos da empresa, para que possamos construir uma relação de confiança com nossos usuários”, disse Page. “Compartilhar coisas pela internet será como compartilhá-las na vida real.”
É isso que o Google começou a fazer. Pouco tempo depois que Page deu essa declaração, o Google começou a integrar o Google+ com o Google Apps.
Enquanto espera-se que o Google+ seja utilizado como um portifólio para os produtos da empresa, será que isso significa que ele não é mais uma rede social? De forma alguma, de acordo com Dan Olds, analista da Gabriel Consulting Group.
“Isso é um grande exemplo de como fazer um gol enquanto o jogo está rolando”, disse Olds. “O Google não fez muito para impedir que houvessem essas comparações quando estavam lançando a rede. Mas agora, um ano depois, de repente o Google+ não é mais tão parecido com o Facebook. Deram a volta por cima de forma magistral e não acho que isso possa estar errado.”
Ele acrescentou também que só porque o Google+ está integrando sua linha de produtos, isso não muda o que ele é. “Ainda é uma rede social em sua essência”, disso Olds. “O Google+ ainda é um serviço que dá aos usuários a chance de compartilhar e se conectar com outros, e isso é o que uma rede social faz. Se você tirar isso do Google+, então ele não passará de um console, certo?”
Via: IDG Now
Anúncios
Esse post foi publicado em GOOGLE, NOTÍCIAS, REDES SOCIAIS. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s