Procon-SP critica plano da Anatel para monitorar qualidade das teles

A proposta de monitoramento apresentada pela Agência Nacional de Telecomunicações para medir a qualidade dos serviços da Oi, Claro e Vivo, que voltaram hoje a vender chips, foi criticada por representantes dos órgãos de defesa do consumidor. Segundo Paulo Arthur Góes, diretor executivo da Fundação Procon-SP, a agência esqueceu de incluir o número de reclamações que chegam diariamente aos Procons.

De acordo com o plano apresentado pela agência, a avaliação trimestral será feita com base na taxa de reclamações registradas pela própria operadora e a Anatel. “Neste caso também deveria ser exigido o aumento do índice de solução dessas empresas, em relação ao número de queixas registradas”.

Góes observa que as operadoras de telefonia móvel estão entre as 11 empresas que mais geram demandas ao Procon-SP no ranking online, atualizado diariamente.

Em pouco mais de um ano e meio o Procon-SP autuou empresas do setor em mais de 37 milhões de reais. Segundo o executivo, dentre outros problemas as empresas foram penalizadas por não oferecer um serviço adequado no seu Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC)l. “O consumidor traz a queixa até aqui depois de anotar vários números de protocolo, sem conseguir resolver seu problema”, explica.

Claro, Oi e TIM foram convocadas para apresentar um plano de metas também ao Procon-SP, com o objetivo de reduzir o número de queixas do consumidor, além de aumento de solução dos casos já registrados no órgão.

A TIM, sobre a qual foram registradas 2.691 reclamações se comprometeu em reduzir em 1% e solucionar 75% dos casos contra os 74% que consegue resolver hoje. A proposta da Oi, que teve 2.448 queixas, é reduzir esse número em 2% e alcançar solução de 75% dos casos registrados pelos consumidores, contra os atuais 72% casos resolvidos.

A Claro, por sua vez não apresentou planos para diminuir as reclamações, mas garante que solucionará 84% dos casos. Hoje 83% são resolvidos quando intermediados pelo Procon-SP

Ranking estadual
No primeiro semestre de 2012, o Procon-SP recebeu 12.215 queixas sobre telefonia móvel, maior que o atendimento registrado no mesmo período do ano passado que foi de 9.402 queixas.

De acordo com o ranking do estado de São Paulo, a Claro é a primeira colocada com 1.984, seguida da TIM com 1.385 queixas. A Oi aparece na terceira posição com 996 ocorrências, a Vivo vem na sequência com 842 reclamações e Nextel é a quinta com 506 queixas.

Via: IDG Now
Anúncios
Esse post foi publicado em BANDA LARGA, MERCADO, NOTÍCIAS, OPERADORAS. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s