Cloud computing fail: como confiar no iCloud pode ser desastroso para sua vida

A computação em nuvem ainda dá grandes vacilos. Há poucos dias um ex-editor do Gizmodo US (atualmente na Wired) perdeu praticamente todos os seus dados: do notebook, tablet e smartphone. O relato no seu blog é de dar desespero em quem confia cegamente nos serviços na “nuvem”.
Computação em nuvem também tem seus momentos ruins...
Computação em nuvem também tem seus momentos ruins… Imagem via Flickr/CC

 Mat Honan perdeu tudo por meio de um acesso não autorizado à sua conta. Mas ele não clicou nesses links de spam que vêm por e-mail ou redes sociais; não instalou apps vulneráveis; não fez nada de errado, e usava uma senha relativamente “segura”. Basicamente ele nem sabia, o estrago só foi percebido depois das invasões.
A origem delas é que foi surpreendente: um cara conseguiu acesso à conta do iCloud dele, usando engenharia social para passar por cima do suporte da Apple. Se passando por ele num telefonema ao AppleCare, o malandro conseguiu resetar a senha do iCloud.
Com ela, tudo ficou mais fácil. O Gmail dele usava o email .mac como contato alternativo. Por aí o cara resetou a senha do Google. Algo mais grave se deu com a remoção remota dos arquivos dos iDevices. O iCloud permite apagar tudo dos produtos em caso de solicitação pela web, e foi o que o cara fez com o iPhone, iPad e com o MacBook Air.
O recurso remote wipe é útil em casos de roubo e perda… Quando seu celular, tablet ou notebook (da Apple) é roubado ou perdido e você não espera recuperá-lo tão cedo, melhor do que perder para alguém o aparelho e os dados é perder apenas o aparelho, inutilizando os dados. Remotamente, com sua conta do iCloud, basta mandar apagar os arquivos. Quando os aparelhos estiverem conectados o processo começa, já que estariam associados à sua conta… E aí já era.
Como se não bastasse, nesse mundo onde tudo fica interligado, a conta do @Gizmodo no Twitter também foi “hackeada” e exibiu posts com ofensas. Sim, ela estava associada à conta do Mat.
O caso é muito grave, mostrando falhas não na parte técnica da computação em nuvem em si, mas no ponto mais frágil dela: as pessoas por trás dos serviços. As pessoas da Apple, no caso, o que surpreendeu a todos (afinal não é uma empresinha de fundo de quintal).
Agora Mat Honan tenta esclarecimentos e uma possível recuperação dos dados, já que, aparentemente, a remoção dos arquivos no notebook não chegou a ser completa (parando antes de sobrescrever os dados). Dada a popularidade dele no mundo da mídia web e as proporções que o caso está tomando, espera-se que a Apple apareça com boas desculpas e/ou ofereça garantias de que isso não voltará a ocorrer.
Partes do relato em português estão no Gizmodo BR, mas vale ler o post completo na Wired.
Seja lá como for, um bom backup numa mídia offline não faz mal a ninguém. Entregar todos os seus dados nas mãos de terceiros achando que eles cuidariam deles com o mesmo cuidado que você faria é, no mínimo, muita ingenuidade.
Via: Hardware
Anúncios
Esse post foi publicado em APPLE, COMPUTAÇÃO EM NUVEM, NOTÍCIAS, SEGURANÇA. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s